The limits of my world

“The limits of my language mean the limits of my world”

Ludwig Wittgenstein

Já os meus limites são um pouco mais complicados, como não poderia deixar de ser:

Meus limites são meu corpo, minha alma, minha linguagem, (incluindo algoritmos, programação e controle da mecatrônica), minha cultura, meu acesso à informação, meus direitos, o que me foi dado, minhas habilidades de alguma forma já desenvolvidas, minha imaginação (inclusive da física e da arquitetura e da mecatrônica, de funcionamento e espacial), sensibilidade e capacidade de empatia, a capacidade de me emocionar, meus cuidados, meus desejos, minha ousadia, minha insistência, meus amigos e família, as coisas às quais renunciei, minhas dores e arrependimentos e o que tenta juntar tudo isto de uma forma coerente e define de uma forma contínua para mim mesmo quem sou: minha memória.

Eu sou complicado, a teoria na prática mais ainda, mas gosto de mim assim desse jeito. :-)

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Comments are closed.